sábado, 31 de maio de 2014

No Restaurante

Uma mulher muito chique entra no restaurante. Ao telefone conversa descontraidamente; ao lado dela, uma criança.
- Senhora, me desculpe interromper. Mas esta criança está lhe incomodando?
- Não, não está.
Dez minutos depois, a mulher continua ao celular.
- Pra fora, criança, você não pode ficar aqui dentro. Quer roubar a mulher? por que não vai tomar um banho? você tá fedendo.
- Pare! essa criança é meu filho. - Gritou a mãe ao ver seu filho sendo levado pelo segurança.
- Desculpe, senhora. Mas já faz mais de dez minutos que essa criança entrou sozinha, correndo atrás da senhora. Ela estava ao seu lado, mas continuava só.

Moral
Muitos abandonados filhos são órfão de mães vivas. Isso porque elas, muitas vezes, têm dado mais atenção a um celular (ou aparelho do tipo)  do que a seus filhos.

(JSC)

quinta-feira, 29 de maio de 2014

NOSSOS VOTOS: ATOS E CONSEQUÊNCIAS

Desde criança, somos responsáveis por nossos atos. De uma forma ou de outra, sempre temos que dar nossas desculpas,  esfarrapadas ou não, ao nossos pais.  Só que a criança cresce, e com ela, mais uma vez, vêm os atos e suas consequências.
Somos muitas vezes chamados de tolos, de isso ou de aquilo, por atos cometidos e, assim, sofremos as sequelas.  Mas o problema se torna um problemão, quando a gente tem que colocar no poder pessoas que nos representem.
Infelizmente, sofremos com nossos atos de escolha. Quem pensávamos que realmente nos representaria, trai nossa confiança, e temos que pagar por esta ação.
Contudo, de quem é a culpa por termos eleito alguém que, com todas as palavras, as boas palavras  de luta por uma cidade melhor, e que  tem nos convencido em escolhê-los? A vida é feita de escolha, e só mais tarde percebemos a escolha errada que fizemos. O poder muda as pessoas, tornando o amor do poder maior que o poder do amor, do amor  por sua cidade, por seu povo, por seu eleitor.
O que fez o povo acreditar, mais uma vez, em uma pessoa que tem a sina de perseguidor e um mau político para sua cidade? Será que foi a falta de um bom concorrente? Não falo só  de uma pessoa boa, mas de uma pessoa presente nos atos políticos e sociais de nossa cidade. Alguém que apareça nas greves dos servidores municipais, que esteja nos bairros, que esteja na câmara, que esteja no dia a dia de nossa cidade; nos atos públicos de forma geral. 
Então, assim como criança, temos que dar nossas desculpas esfarrapadas por ter votado e eleito alguém que, inescrupulosamente tem nos perseguido, perseguido um povo que já sofre sem uma boa estrutura hospitalar, de esgotamento, de pavimentação,  educacional...  somos cúmplices de nossos erros e sofremos as consequências. Devemos pedir desculpas uns aos outros por ter ajudado a colocar no poder alguém que  não se apresenta capaz de ser um bom administrador, e é incapaz  de   representar de forma coerente e justa os anseios de nossa população.
 Mas, como evitar os próximos erros? votar novamente?assim vamos, nos erros a acertos, para urna.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Expressões Idiomáticas em Inglês

01. shoot the breeze

»»» bater papo, jogar conversa fora
  • We spent the whole evening just shooting the breeze. (Passamos o começo da noite só jogando conversa fora.)
  • We sat out on the porch, just shooting the breeze. (Ficamos sentados na varanda, só batendo papo.)
  • I met her again last night, and we just shot the breeze for an hour. (Me encontrei com ela novamente e ficamos jogando conversa fora por um hora.)

02. bury the hatchet

»»» fazer as pazes
  • Let’s stop arguing and bury the hatchet. (Vamos deixar de briga e fazer as pazes.)
  • Michelle and I buried the hatchet and we are good friends now. (Michelle e eu fizemos as pazes e agora somos boas amigas.)

03. rock the boat

»»» complicar as coisas, bagunçar as coisas, bagunçar o coreto
  • Hey, everything is going fine here. So, don’t rock the boat! (Ei, as coisas estão super bem aqui. Então, não complique as coisas.)
  • We certainly don’t want anyone rocking the boat just before the election. (Com toda certeza, não queremos ninguém bagunçando as coisas bem antes das eleições.)

04. break the news

»»» dar uma notícia, contar uma novidade (geralmente má)
  • The doctor had to break the news to Jane about her husband’s cancer. (O médico teve de contar à Jane sobre o câncer do marido dela.)
  • I’ll break the news to Maria, I’m sure she’ll understand. (Vou contar a novidade à Maria. Tenho certeza que ela vai entender.)

05. bite the bullet

»»» encarar o desafio (aceitar algo difícil e seguir a vida)
  • Well, you’ll have to bite the bullet, you know. (Bom, você vai ter de encarar o desafio e seguir em frente.)
  • I hate going to the dentist, but I suppose I’ll just have to bite the bullet. (Odeio ir aos dentista, mas creio que terei de encarar o desafio.)

06. cut the mustard

»»» dar conta do recado, atender às expectativas
  • As for whether he can still cut the mustard as a leader, we will find out. (Agora se ele consegue dar conta do recado como líder, vamos aguardar.)
  • So, do you think they’ll be able to cut the mustard? (E aí, você acha que eles atenderão às expectativas.)

07. jump the gun

»»» agir precipitadamente, agir por impulso
  • He shouted at me before I had time to explain, but later he apologised for jumping the gun. (Ele gritou comigo antes de me dar tempo para explicar, depois ele se desculpou por ter agido por impulso.)
  • They’ve only just met. Isn’t it jumping the gun to be talking about marriage already? (Ele mal se conheceram. Não é muito cedo para começar a falar de casamento?)

08. fight the traffic

»»» encarar o trânsito
  • Well, time to fight the traffic again! See you guys. (Opa! Hora de encarar o trânsito de novo! Até mais, pessoal!)
  • This is way better than fighting the traffic. (Isso é bem melhor do que encarar o trânsito.)

09. punch the clock

»»» bater o cartão, bater o ponto
  • You punch the clock, do what you’re told, work the hours set for you by someone else and earn the income they think you deserve. (Você bate o ponto, faz o que te mandam, trabalha no horário estipulado por outra pessoa e ganha um salário que eles acham que você merece.)

10. push the panic button

»»» entrar em pânico, entrar em desespero
  • Stay calm! There’s no need to hit the panic button. (Mantenha-se calmo! Não é preciso entrar em pânico.)
  • Let’s not press the panic button until we think it through. (Não vamos entrar em desespero antes de pensarmos em tudo.)

http://www.inglesnapontadalingua.com.br

Frases Românticas em Inglês

  • I cherish you. (Eu estimo você.)
  • I desire you. (Eu desejo você.)
  • I need you. (Eu preciso de você.)
  • I value you. (Eu valorizo você. | Eu te dou valor.)
  • I want you. (Eu quero você.)
  • I worship you. (Eu venero você.)
  • I appreciate you. (Eu aprecio você.)
  • I can’t live without you. (Não consigo viver sem você.)
  • I yearn for you. (Eu anseio por você.)
  • I’m fond of you. (Eu gosto de você.)
  • I’m lost without you. (Estou perdido/perdida sem você. | Eu me perco sem você.)
  • I’m thankful for you. (Dou graças por você. | Agradeço a Deus por sua existência.)
  • I’m nothing without you. (Sou nada sem você.)
  • I’m passionate about you. (Sou apaixonado/apaixonada por você.)
  • I’m crazy for you. (Sou louco/louca por você.)
  • I’m in love with you. (Estou louco/louca de amores por você.)
  • I’m devoted to you. (Sou devotado/devotada a você. | Sou inteiramente seu/sua.)
  • I’m blessed to have you in my life. (Sou abençoado/abençoada por ter você em minha vida.)
  • I’m a better person because of you. (Sou uma pessoa melhor por sua causa.)
  • I’m yours. (Sou seu.)
  • I want a lifetime with you. (Quero passar minha vida inteira com você.)
  • Me and you. Always. (Eu e você. Para sempre.)
  • My love is unconditional. (Meu amor é incondicional.)
  • Take me. I’m all yours. (Me possua. Sou todo/toda seu/sua.)
  • Caso queira mudar o disco e não falar tantas coisas tendo o pronome “I” como o sujeito é só usar algumas da lista abaixo:
    • You are my everything. (Você é meu tudo.)
    • You are my one and only. (Para mim só existe você.)
    • You are my one true love. (Você é o meu verdadeiro amor.)
    • You’re the one I’ve always wished for. (Você é a pessoa que sempre desejei.)
    • You’re the one for me. (Você é a pessoa certa para mim.)
    • You’re all I want. (Você é tudo o que eu quero.)
    • You’re a dream come true. (Você é um sonho que se tornou realidade.)
    • You’re absolutely wonderful. (Você é maravilhoso/maravilhosa.)
    • You turn my world upside down. (Você vira meu mundo de pernas para o ar.)
    • You set my heart on fire. (Você incendeia meu coração.)
    • You rock my world. (Você gira o meu mundo.)
    • You hold the key to my heart. (Você tem a chave para o meu coração.)
    • You’re the reason I’m alive. (Você é a razão pela qual estou vivo/viva.)
    Tem também algumas frases românticas em inglês mais picantes:
    • You drive me wild. (Você me enlouquece.)
    • You make me hot. (Você me deixa louco/louca. – algo como, você me deixa com tesão)
    • You light my flame. (Você acende o meu fogo. | Você desperta os meus desejos.)
     

www.inglesnapontadalingua.com.br

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Dia dos pais é todos os dias

Quando criança, você olha para seu pai: o homem mais forte do mundo. Ele é o mais inteligente e o mais bonito. Ele é o mais em tudo... Então você cresce, e percebe que seu amado pai já não tem àquela força, que suas ideias já não são tão firmes, que suas palavras já não são tão bem concatenadas... que seu pai precisa de você. Que seu pai é seu único herói de verdade ainda vivo.
Que tal você procurar seu pai para dizê-lo que o ama?
Dia dos pais é todos dos dias, enquanto ele estiver vivo.

sábado, 24 de maio de 2014

Palavrões em inglês

Os Piores Palavrões da Língua Inglesa
  •  
  • Cunt [= buceta; este é tido como o pior palavrão de todos; creio que em português também]
  • Motherfucker [= filho da puta, filho duma égua, filho duma raparigueira, etc]
  • Fuck [= fóda, foder, caralho, porra, puta que pariu, etc; depende do contexto]
  • Fuck off [=vá se fuder, vá tomar no cu, vá tomar no rabo, vá pra puta que pariu e genéricos]
  • Wanker, jerk [= punheteiro]
  • Prick [= pentelho, pica, babaca, idiota; depende do contexto]
  • Bollocks [britânico] [= culhões, ovos; merda, bosta, cacete;depende do contexto]
  • Arsehole [britânico], asshole [americano] [= cu, cuzão; usado para se referir ao ânus ou mesmo uma pessoa idiota]
  • Shag [= transar, trepar, foder, dar uma, etc]
  • Whore, slut, bitch, hoe [= puta, safada, vagabunda, cadela, vaca, vadia, quenga e afins]
  • Twat [= pentelho, usado para xingar alguém]
  • Piss off [vá se foder, vá tomar no cu e afins]
  • Shit [= merda, caralho, buceta, porra; usado quando algo dá errado e você precisa extravasar]
  • Dickhead [= cabeça de pica, idiota, babaca, etc]
  • Pissed off [= puto da vida, com os caralho, etc; usado quando se está com muita raiva]
  • Arse [britânico], ass [americano] [= bunda, rabo, traseiro, cu, fiofó, furico; depende do contexto]
  • Crap [o mesmo que shit]
  Segue abaixo uma lista das palavras tidas como mais ofensivas para os gringos de qualquer país de língua inglesa.

  • motherfucker (apesar de ser traduzido por ‘filho da puta‘, seu significado vai muito além disto);
  • fuck (este todos devem conhecer);
  • jerk [Inglês Americano], wanker [Inglês Britânico] (usados como xingamentos, em termos mais leves equivale a idiota, embora não seja bem isto [acho que cabeça de pica reflete bem o significado de ambos, literalmente significam punheteiro);
  • bitch, whore (ambos significam puta, vagabunda, vadia, cadela e seus inúmeros sinônimos);
  • dick, prick, cock (termos usados para o órgão sexual masculino, em português serão os piores palavrões imáginaveis nesta categoria: pica, pau, rola, caralho, etc);
  • piss (significa 'mijar', porém para um educado falante nativo da língua inglesa, isto é um tremendo palavrão. Cuidado! - há uma expressão muito comum em filmes, piss off, traduzida geralmente por 'saia daqui', 'desapareça', mas pelo fato do termo 'piss' estar aí, ela se torna uma expressão extremamente ofensiva.
  • shit, crap (equivalem a 'merda', 'bosta', 'caralho', em português; já deu pra ver que não é boa idéia usá-las; evite também o termo 'bullshit' muito comum em filmes)
  • fart (refere-se ao pum ou ao ato de soltar puns [rsrsrsrs]; evite-a a todo custo…)
 
  • inglesnapontadalingua.com.br/

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Redação no ENEM: Como Evitar a Prolixidade

Há pessoas que reclamam que demoram para começar a escrever, pois ficam muito tempo pensando no que e em como irão redigir uma redação, seja na escola ou no vestibular ou concurso público, mas há também pessoas que relatam o mesmo que acabam sendo prolixas, isto é, usam palavras demais, já que não sabem ou não são capazes de sintetizar o raciocínio e, consequentemente, escrevem textos cansativos e longos demais.
Ambos os casos geram nervosismo e estresse, mas isto pode ser trabalhado por meio do ato de resumir. Em outras ocasiões, já abordamos a importância do resumo anterior ao texto a fim de planejá-lo e organizá-lo pensando – especificamente, na dissertação-argumentativa, o tipo de texto pedido do Enem – na sua estrutura básica (título, introdução, desenvolvimento e conclusão).
Normalmente, orienta-se que o resumo seja feito antes da redação com este intuito, a fim do candidato selecionar sua tese e seus argumentos principais e arquitetá-los por meio das estratégias argumentativas (dados, exemplos etc) e, enfim, mas não menos importante, elaborar a conclusão na qual geralmente deve constar, no caso do Enem, a proposta de intervenção social.
O Enem possui esta característica específica – a proposta de intervenção social – e, no fundo, ela é um dos principais objetivos da prova de redação do exame: abordar o tema a fim de elaborar uma proposta de solução para ele, já que normalmente trata-se de uma questão ou um problema de cunho social. Tendo isso em mente, existe a possibilidade de iniciar o rascunho pela proposta de intervenção social e a partir dela planejar o restante da redação, já que ela deve estar em consonância com o restante (tese, argumentos principais e estratégias argumentativas).
Estas duas primeiras dicas servem melhor, ao nosso ver, para aqueles que possuem dificuldades em começar a escrever e a próxima é mais adequada para aqueles que são prolixos.
A prolixidade não atrapalha no início da produção texto nem no processo criativo, digamos assim, mas faz mal ao planejamento da redação, já que nos vestibulares há um espaço limitado por um certo número de linhas para se escrever, além do que, posteriormente, na universidade, os professores pedirão artigos científicos, relatórios, ensaios, projetos e monografias que também terão um limite de linhas; daí a importância de não sermos prolixos.
A dica para estes casos é fazer o resumo entre a primeira versão e a versão final, ou seja, o candidato deve escrever uma versão inicial e, assim que a acabar, resumi-la e, finalmente, depois, passá-la a limpo na folha definitiva da prova. Ao resumir a redação entre uma versão e outra é possível selecionar os melhores argumentos, as melhores estratégias argumentativas e organizar melhor o texto; é o que chamamos de “passar a foice”, isto é, cortar tudo o que é desnecessário e prolixo visando um texto mais objetivo e claro possível, já que a prolixidade faz com haja repetições. A última versão deverá ser menor, melhor e mais objetiva do que a primeira.
Resumindo antes ou depois, podemos perceber a importância fundamental da reescrita no processo de produção textual. Como já dissemos em uma outra ocasião, autores consagrados reescrevem suas obras quantas vezes forem necessárias até atingirem seus objetivos. Ao escrever redações em casa ou na escola, obviamente há mais tempo e dedicação para a reescrita, o que não acontece no dia do Enem, por exemplo, mas quanto mais reescrever, melhor ficará e, no dia do exame, isso já fará parte do hábito e será realizado dentro do tempo disponível.
Como saber qual dica seguir? Teste ambas (durante a lição de casa, no estudo autônomo e nas provas de redação da sua escola, a fim de também testar o controle do tempo) e analise em qual você saiu-se melhor, levando em conta seu conforto e desempenho; converse com o seu professor, pois ele pode lhe orientar com um olhar mais focado.
Já em relação ao nervosismo e ao estresse, estudar e preparar-se é a melhor maneira de controlá-los, pois assim a tranquilidade de saber que tudo o que era preciso foi feito toma conta. Respirar fundo e pausadamente, algumas vezes, também ajuda, e muito, a relaxar em um momento de tensão.

InfloEnem (adaptado)

quinta-feira, 22 de maio de 2014

VÍRUS

Das catacumbas do inferno,
Desenterraram o diabo.
Ele tava lá todo triste,
Chifre quebrado,
Todo desanimado;
 Sem vontade de lutar.
 Conversaram com ele,
Falaram coisa de montão.
Lembraram de sua queda,
De Eva e Adão
 -Ele achou muita graça
Dessa desgraça –
E riu de montão.

Mas falaram em internet
Aí, foi uma grande frustração:
 Coitado do diabo,
Estava desinformado
Nesse mundo tecnológico,
Cheio de informação.
Não sabia nada de site,
 Do face, twitter...
Que falta de emoção!
Mas, logo aprendeu e
Começou a enviar email,
E muita gente caiu
Na conversa do ladrão.
Espalhando todo o tipo  de vírus
Para perturbar a nação.
Computador lento,
Perca de documento,
Queda no sistema...
Uns resolvidos, outros sem solução.
No mundo tecnológico,
Ele agora é o chefão.
Alerta, cuidado!
Coisa linda não é não.
Aprenda a cuidar da sua “vida”,
Pois computador
Não é televisão.
Todos te vendo, e
Quando você menos
Espera, cai no
 golpe do espião.
 Ele é feio, mas
Vai parecer assim não.
Vai saber de sua vida,
Sua senha e intimidade,
Quem é sua família,
Arrancar sua privacidade.
Instale  antivírus, irmão,
Antes que ele te pegue
E transforme sua paz
Em  vida de cão. 
(JSC)

quarta-feira, 21 de maio de 2014

GOSTA DE INGLÊS? ENTÃO, TESTE.


Each of the following sentences has one mistake. Select the INCORRECT part of each sentence. (Em cada frase abaixo contem um erro. Selecione a parte incorreta de cada frase).


1) The jury system is a integral part of American justice.
a) system
b) is
c) a integral part
d) justice

2) Juries decide whether a defendant is guilty or no guilty.
a) whether
b) a
c) is
d) no guilty

3) Everyone on the jury must be agreed.
a) everyone
b) on
c) must
d) be agreed

4) In US, most juries are comprised of twelve people.
a) In US
b) most
c) comprised of
d) people

5) These people are chosen at random from the general populate.
a) These
b) are chosen
c) at random
d) populate

6) Anyone whom is registered to vote can be summoned for jury service.
a) whom
b) to vote
c) can be summoned
d) service

7) Once summoned, prospective jurors report to the courthouse, where they may be select to serve on a trial.
a) summoned
b) to
c) where
d) select

8) Those people who are not selected must be continued to fulfill their civic obligation.
a) those people
b) who are
c) be continued
d) to fulfill

9) For two weeks, these people are on \"stand-by,\" which means they must call to the courthouse every day.
a) For two weeks
b) which means
c) call to
d) every day

10) They may even be required to return to courthouse.
a) may
b) be required
c) to return
d) to courthouse

11) Though most of prospective jurors do not serve on trials, their presence is a critical part of the American legal system.
a) though
b) most of
c) is
d) legal system

terça-feira, 20 de maio de 2014

AS PESSOAS NÃO SÃO COMO A GENTE PENSA

Demorei, mas aprendi...
Que um sorriso inocente não define uma personalidade...
Que lágrimas não significam arrependimentos...
Que promessas nem sempre são cumpridas...
Que juras de amor nem sempre são de amor...
Que quem merece não implora a confiança...
Que regras sempre serão quebradas...
Que quem tem muita história, um pouco fez...
Que ciúmes não significam amores...
Que cenas de cinema nem sempre são de romance...
Que seus amigos te definem...
Que presentes não são compromissos...
Que quem está do deu lado pode estar do lado errado...
Que quem não te dá opção não merece sua escolha...
Que atitudes mudam tudo do inicio ao fim...
Que o mundo dá voltas e tudo vai se repetir...
Que as pessoas mentem muito, e por pouco...
Que nem sempre uma mulher é uma mulher de verdade...
Que não é tão inocente, como seu jeito inocente é...
Que o sabor dela é outra mulher.
As coisas, as pessoas... São assim...
Sempre diferente do que pensamos...
E sempre nos subestimando...

David P. Guimarães Thomé
(Adaptado por JSC)

Cachorra no cio




Ela é jovem demais e  foge  como uma cadela no cio, que foge de muitos cachorros. Ela quer, mas tem medo. Tem medo do desejo do cachorro. Tem medo do cachorro. Se fosse apenas um desejo, não teria tanto medo, mas o cachorro tem muitos desejos.

Ela finge estar doente, quando percebe a vontade nos olhos do cachorro; assim  mostra-se indiferente a tanto desejo. Ela vê a vontade no corpo dele, ela sente vontade, que cachorra não sentiria, já que esta está no cio. Nunca  antes teve  um cachorro. Assim,  suporta suas ânsias com tamanho sofrimento  que a leva a sonhar por longo período. 

Deita, rola, range os dentes, saliva, uiva; cachorra determinada. Espanta, late, morde o pretendente para afastá-lo. Muitas vezes constrangido e intimidado com a situação, ele fica distante por alguns minutos e, como nada quer, aos poucos vai se aproximando daquela que finge não o vê, não está nem aí.  Tudo volta como estava antes.

Agora experiente,  já deitada, ela olha ao redor. É só mais um cachorro  que entra, que a cerca, que sente seu cheiro,  que a toca e a convida para o ato, porém não precisa mais convidar, ela já está preparada para a festa. Já conheceu muitos outros cachorros.  Seus desejos, então, são muitos. Um só cachorro não dá.  Ela precisa de  matilhas  para sobreviver, para pagar suas contas.

Joerlândio Cordeiro

Redação - Dez possíveis temas no ENEM

Atire o primeiro livro que nunca apostou todas as suas fichas num tema para a redação do ENEM. Anualmente aparecem nas redes sociais e nas salas de aula possíveis temas, os quais não passam de meros palpites. Em 2013, o maior exame do mundo (!) surpreendeu a todos enfocando a Lei Seca e suas implicações na sociedade brasileira, num momento em que a mistura álcool e direção não mais atraía atenções da mídia como em anos anteriores.
Tendo isso em vista, é salutar “tentar adivinhar” a proposta de redação já que os palpites instigam os estudantes a se informar cada vez mais sobre os assuntos mais votados. No entanto, deve-se opinar com propriedade, o que só é possível analisando toda a trajetória do ENEM (de 1998 a 2013) e levando em consideração um aspecto relevante: tal exame sempre enfoca um problema social da realidade brasileira, o que potencializa o número de possibilidades, afinal, problemas não nos faltam.
Nesse sentido, segue uma lista das 10 grandes apostas de possíveis “candidatos” ao tema sobre o qual irão dissertar provavelmente mais de sete milhões de pessoas. Com base no contexto sociocultural brasileiro, foram selecionadas problemáticas que, se não forem escolhidas este ano, provavelmente serão nos seguintes. Vamos à leitura?
1: Problemas educacionais: a educação ainda não apareceu como tema de redação do ENEM, por isso é uma das grandes apostas. Podem figurar na proposta a carência na qualidade da formação de crianças e adolescentes, os resultados insuficientes em exames internacionais (em relação a português e matemática), a destinação de 75% dos “royalties” do petróleo para esse setor (medida eficaz?) e a elevada taxa de analfabetismo funcional, embora o Brasil tenha atingido a universalização do acesso ao ensino básico.
2: Envelhecimento da população e os novos desafios: redução da população em idade economicamente ativa, o que exige novas políticas públicas acerca da previdência, da saúde e do trabalho.
3: Mobilidade urbana: uso de transportes alternativos, precariedade das estradas, crescimento exponencial de venda de automóveis, insatisfação da população quanto aos transportes atuais.
4: Reforma política: repulsa aos partidos políticos e necessidade de modificar a política brasileira, tendo em vista o descontentamento do eleitor e o descrédito no voto como mola propulsora de evolução social.
5: Manifestações populares: causas, consequências, impactos do ativismo digital,  legado para o Brasil (o que muda de fato após os protestos?).
6: Direitos das minorias na sociedade: crianças e adolescentes (questão da maioridade penal, da negligência afetiva), idosos, homossexuais, dependentes químicos (questão da internação involuntária), obesos e pessoas com deficiências (questão da acessibilidade).
7: Expansão da classe média: novos desafios referentes à ascensão social, como necessidade governamental de ofertar serviços públicos de qualidade a uma população cada vez mais exigente e importância de um novo plano de previdência social.
8: Lixo na sociedade de consumo: como lidar com o descarte de resíduos na natureza e quais as perspectivas para solucionar tal questão, tendo em vista que tende a se agravar no futuro.
9: Igualdade de gênero: como garantir igualdade de direitos numa sociedade marcada por resquícios patriarcais, em que a mulher, a despeito de ingressar na vida profissional, acumula funções no trabalho e em casa e ainda ganha menos que o homem, ocupando os mesmos cargos.
10: Desigualdade econômica: conquanto o Brasil esteja obtendo êxito na erradicação da miséria (e seja a sétima economia mundial), ainda existe discrepância entre os muito economicamente favorecidos e os desfavorecidos.
InfoEnem (adaptado)

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Cidade do Terror





Chão sujo,
esburacado chão,
escura rua,
hospital abandonado,
povo esquecido,
representante escondido,
grito e mais grito de um sindicato de luta, 
escola paralisada,
aluno em casa,
filho na rua,
mãe preocupada,
enfermeiro do medo,
gente de segredo,          
médico sem temor,
cidade do terror...
Dó de ti, meu amor!
Tá te matando esse senhor.  
(JSC)

domingo, 18 de maio de 2014

Conheça as melhores estratégias para uma sessão de estudos para o Enem

Alguns dias atrás postamos um artigo contendo três técnicas de estudo obrigatórias para quem vai prestar o Enem, as quais devem ser aplicadas ao longo de todo o ano de preparação. Na ocasião, citamos o constante acompanhamento e atualização dos principais acontecimentos no Brasil e no mundo, a escrita de uma redação por semana e também a realização de simulados e resolução de provas anteriores do exame.
No texto de hoje traremos as principais estratégias para que você aplique em cada sessão diária de estudo. Fazer resumos, grifar as palavras / frases mais importantes e fazer associações com músicas ou objetos para otimizar a memória podem até ajudar, mas certamente não são as práticas mais eficientes para fixar os conteúdos abordados.
Veja na lista abaixo os métodos que são comprovadamente mais eficazes durante suas horas de estudo e preparação para o Enem e qualquer outro concurso ou prova desta grandeza.
Auto-explicação – Basicamente consiste na prática de, durante a leitura e aprendizado de um novo processo ou conteúdo, fazer pequenas pausas e explicá-lo para si mesmo e com suas próprias palavras. Esta técnica é mais eficiente para conteúdos teóricos (que não envolvem cálculos) e, de acordo com alguns estudos, é mais efetiva se aplicada durante o aprendizado, e não após o término do estudo.
Prática distribuída de estudos – Nada mais é do que a elaboração de um cronograma de estudos no qual cada disciplina será abordada com uma determinada frequência, intercalando-se com as outras. Trazendo para um exemplo prático, esta estratégia prega que você NÃO deve estudar matemática isoladamente durante uma semana, sendo que o ideal é estudá-la uma ou duas vezes neste período, fazendo o mesmo com as outras disciplinas. Algo que pode ajudar muito a seguir este método é a criação de um cronograma de estudos. Se você ainda não fez o seu, saiba como aqui.
Realização de listas de exercícios e testes práticos – Esta é, seguramente, a mais eficiente das estratégias deste texto. Utilizar apenas os recursos anteriores durante uma sessão de estudo não surtirá muito efeito se você não aplicar este último. Para fixar, de fato, uma matéria ou conteúdo estudado, é necessário resolver listas de exercícios e testar seus conhecimentos sobre o assunto. Obviamente tal prática deve vir acompanhada, no mínimo, de um gabarito para que você possa fazer a correção e entender o que e onde errou. Essa técnica é de suma importância para todas as disciplinas, mas em especial para ciências exatas. Quanto mais você praticar, mais irá se aperfeiçoar em cada conteúdo.

InfoEnem

Redação no Enem: Verossimilhança


A verossimilhança – qualidade do que é verossímil, isto é, verdadeiro, possível, plausível; o que possui ligação, nexo, harmonia; coerência – é um aspecto de fundamental importância na literatura em geral (com exceção da ficção científica e da literatura fantástica por serem gêneros que exploram, justamente, o inimaginável e, portanto, possuem licença poética para tal; porém, é importante enfatizar que mesmo entre elementos fantásticos é necessário haver verossimilhança) e nos textos que aprendemos na esfera escolar – tipos e gêneros – pois o que escrevemos deve ser possível, plausível e ter nexo, ou seja, sentido para o leitor.
A coerência, portanto, não deve ser uma preocupação apenas em relação ao interior da redação – coerência interna, isto é, entre as partes e os parágrafos do texto – mas também em relação ao mundo exterior, a qual chamamos de coerência externa.
Em narrativas, devemos tomar cuidado ao desenvolvermos os acontecimentos da história e as atitudes dos personagens; por exemplo, caso seja narrado algo que aconteceu na década de 1950, todo o texto deve ser coerente com esta época. O mesmo vale para histórias narradas nos dias atuais. Certa vez, um aluno escreveu em sua narrativa que “a mulher levou o filho ao hospital SUS para ele ser atendido”; pelo visto, este estudante não sabia que SUS é o Sistema Único de Saúde do Governo Federal e não um único hospital que chama-se SUS. Além de ser inverossímil, esta afirmação mostra o quanto este aluno não conhece o sistema público de saúde brasileiro.
Já em dissertações-argumentativas, como é o caso do Enem, a verossimilhança deve também estar presente em toda a redação, desde as estratégias argumentativas (exemplos, dados, números etc) até os argumentos em si. Construir a argumentação em cima de afirmações falsas ou inverossímeis é prejudicial a todo o texto, pois este fica sem credibilidade.
Na prova de redação específica do Enem, a verossimilhança também deve ser uma preocupação no momento de elaborar a proposta de intervenção social, já que esta deve ser algo plausível, praticável e possível. Escrever uma solução impraticável em todos os sentidos demonstra uma incapacidade do candidato de pensar em algo que possa, realmente, ser realizado e obter resultados positivos. Além de verossímil, a proposta de intervenção social deve respeitar os direitos humanos; não adianta nada ser algo possível se não for plausível perante a ética.

InfoEnem

REDAÇÃO - Erros que devem ser evitados

 REDAÇÃO - Erros que devem ser evitados:  Erros/descuidos que você deve evitar quando for escrever suas  redações. Leia com atenção e lembre-se deles sempre que estiver com o pape...

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Os maiores problemas do professor hoje

Atratividade e formação são os dois maiores problemas da docência no país. Sem desatar esse nó, fica difícil avançar


Formação inicial desvinculada da prática. Formação em serviço frágil. Longas jornadas de trabalho. Violência. Indisciplina. Turnos excessivos. Muitos alunos. Falta de apoio da gestão. Infraestrutura deficiente. A lista de problemas dos professores brasileiros é longa, mas a questão de fundo é uma só: o país precisa de uma ampla reforma educacional. "Não temos uma politica nacional para a docência", afirma Amábile Mansutti, coordenadora técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), em São Paulo.

Países como a Finlândia e a Coréia do Sul têm propostas consolidadas, que contemplam não apenas o salário dos profissionais, mas também planos de carreira bem estruturados, boa formação inicial e em serviço e ambientes de trabalho de qualidade. O resultado dessas medidas pode ser comprovado pela posição dessas nações em rankings como a do Pisa. Já no Brasil, onde não há uma política voltada aos docentes, os resultados continuam ruins, ano após ano. E a ausência de uma politica de Estado traz impactos já na atração e retenção dos profissionais.
Importância do Professor Especial Importância do Professor
Matérias especiais para você entender a importância do professor na sala de aula e como valorizar essa profissão.
Entre os jovens, a docência é vista como uma opção mal remunerada e cheia de problemas. Desvalorizada, ela é opção profissional de apenas 2% dos alunos do Ensino Médio, segundo pesquisa da Fundação Carlos Chagas (FCC) sob encomenda da Fundação Victor Civita (FVC). Hoje, o magistério atrai alunos com baixo rendimento acadêmico. "Em geral, eles fazem parte das camadas menos favorecidas da população. São os primeiros da família a chegar ao ensino superior e acreditam que dar aulas é uma opção segura, pois sempre há postos de trabalho", explica Marli André, professora da Pontifica Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), que pesquisa formação há 30 anos.

Outra questão crucial diz respeito à formação que esses jovens recebem ao ingressar no curso superior. O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) de Pedagogia, de 2008, indica que 14% dos cursos apresentam desempenho insuficiente. Apenas 3% foram considerados excelentes. Além disso, a maioria dos currículos não contempla as questões práticas da sala de aula. A ênfase recai sobre saberes teóricos distantes da realidade, enquanto as metodologias de ensino e as didáticas de cada disciplina são negligenciadas. Segundo o estudo da FFC e da FVC, apenas 28% das matérias se referem à formação profissional específica. Depois da formatura, os problemas não se encerram. Não há planos de carreira que contemplem o desenvolvimento profissional, a fixação do docente em uma escola, a formação em serviço atrelada à oportunidades de estudo e de reflexão sobre a prática.

O resultado dessa conjuntura fica escancarado nas pontuações dos alunos brasileiros em exames como o Saeb e a Prova Brasil.

Educar Para Crescer

quarta-feira, 14 de maio de 2014

UMA BOA AULA

O professor olha para trás e se pergunta: eu aprendi com a aula de hoje? Se o professor também aprendeu, então a aula valeu a pena. 
JSC

domingo, 11 de maio de 2014

TALVEZ

Talvez, quando meu silêncio for maior que o seu.
Talvez, quando não escutar o sussurro  meu.
Talvez, quando a solidão te fizer companhia.
Talvez, quando seu corpo precisar de um abraço.
Talvez, quando você quiser meu rosto no seu.
Talvez, quando seus lábios quiserem os lábios meus.
Talvez, quando você  quiser voltar.
Talvez, quando talvez a gente se amar.
Talvez, quando talvez me encontrar.

A dúvida e o tempo muitas vezes seguem em caminhos opostos.
(JSC)

sábado, 10 de maio de 2014

Certeza



Quando este corpo repousar,
Quem  cobrirá?
Quem chorará?
O que dirá?
Por que dirá?
Alguns passos para trás, 
Já não lembrará.
E, se lembrar, o que dirá?
Perecerá  todo o corpo,
Em pó tornará toda a carne:
Pobre e rico, coxo, cego
Professor,  Juiz,  analfabeto.
Quando chegará?
Católico, espírita ou cristão,
Honesto,  desonesto, certinho ou não.
Todos na mesma barcaça, alguns ontem,
Outros hoje, e amanhã eu e você, meu irmão.

(JSC)

Uma foto pro FACE



- Peraí, mulher... mais uma foto!
- Essa tá boa!
- Tá nada. Fiquei feia demais!
- Não, mulher. Vou tirar mais não!
- Por quê?!
- Já tirei dez fotos, e tu não gostasse de nenhuma.
- É porque ficou feia!
- Então, a gente vai ter que mudar a tua cara!

Rssss

(JSC)

segunda-feira, 5 de maio de 2014

EU E VOCÊ APENAS


Passamos o dia todo e quase a noite toda juntos. Que prazer COMPARTILHAR esses momentos ao seu lado. Sabe, eu acho que aprendi alguma coisa com você. Ainda bem que você não me exige nada porque eu só quero CURTIR. Adoro COMENTAR suas ideias. Acho que estou viciada em você. Esqueço de fazer as refeições; quando faço, esqueço de lavar as louças, de limpar a casa, até de cuidar de mim mesma... enfim, minha casa vira um lixo, mas eu te amo, meu FACEBOOK. (JSC)