quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Veja Todos os Temas da Redação do Enem

Posted: 29 Jan 2015 10:03 AM PST
A prova de redação do Enem faz parte da matriz de referência de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, já que esta abrange os conteúdos de Língua Portuguesa como gramática normativa, interpretação de textos e produção textual. O exame segue a tradição da maioria dos vestibulares do país: incluir uma avaliação de produção textual que, na verdade, não avalia apenas a escrita do candidato, mas também a leitura.
A prova redação está presente no Enem desde a sua primeira edição (1998) e tem como característica abordar temas com viés social, voltados para as realidades política e história do Brasil e, por isso, tem como especificidade buscar uma proposta de intervenção social por parte do candidato, a qual abordaremos a seguir.
Os temas de todas as propostas de redação do Enem, desde sua concepção até o ano de 2014 foram:
  • 1998: Viver e aprender
  • 1999: Cidadania e participação social
  • 2000: Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio social
  • 2001: Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?
  • 2002: O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais que o Brasil necessita?
  • 2003: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo?
  • 2004: Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação
  • 2005: O trabalho infantil na sociedade brasileira
  • 2006: O poder de transformação da leitura
  • 2007: O desafio de se conviver com as diferenças
  • 2008: Como preservar a floresta Amazônica: suspender imediatamente o desmatamento; dar incentivos financeiros a proprietários que deixarem de desmatar ou aumentar a fiscalização e aplicar multas a quem desmatar?
  • 2009: O indivíduo frente à ética nacional
  • 2010: O trabalho na construção da dignidade humana
  • 2011: Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado
  • 2012: Movimento imigratório para o Brasil no século XXI
  • 2013: Os Efeitos da Implantação da Lei Seca no Brasil
  • 2014: Publicidade Infantil em Questão no Brasil
Podemos dizer que até 2003 os temas eram abordados de uma forma mais abrangente e generalizada e que a partir de 2004 essa abordagem passou a ser mais específica e detalhada, focando um determinado aspecto. Porém, desde o início do Enem, os temas têm enfoque social, abordando assuntos fundamentais como cidadania, direitos humanos, meio ambiente, educação, convívio social, ética, política, liberdade, comunicação etc. Por vezes, um mesmo tema abrange vários destes subtemas; por exemplo, o tema da prova de 2007 “O desafio de se conviver com as diferenças” engloba a questão da discriminação, dos inúmeros preconceitos (que, infelizmente, ainda estão enraizados na sociedade, não só brasileira) e, portanto, do convívio social e da liberdade de expressão, tanto corporal, sexual, religiosa, de informação, dentre outras.


InfoEnem

Sexo: televisão aberta para mente fechada

- Bom dia, diretora!
- Bom dia!
- Quero falar com o professor de ciências.
- Por quê?
- Minha filha chegou ontem em casa e me falou da aula do professor.
- Bem, você me poderia dizer o que foi.
- Ele tava falando de sexo pra classe toda.
- Como assim?
- Veja aqui no caderno... doença na vagina, no pênis... uso de preservativo...isso é um absurdo!
- Ontem a senhora assistiu alguma coisa?
- Tá... assisti as novelas.
- E depois?
- Big brother...
- Senhora, vá pra casa.
- Por quê?!!
- Sexo acontece na sua casa, em frente de seus filhos... transas nas novelas e nesse reality show, mulheres nuas dançando... ainda você vem tomar meu tempo, dizendo que o nosso professor está falando de sexo. Poupe-nos de sua ignorância e agradeça a nossa escola em ajudar na Educação Sexual de sua filha...
Parece mentira, mas isso ainda acontece em algumas escolas. 

JSC

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Por que brasileiro não aprende inglês?

(...)
A grande maioria dos brasileiros acha que aprender inglês significa aprender a falar igualzinho a um nativo. Esse comportamento gera comentários assim: “eu quero falar inglês como americano/britânico“, “o inglês aqui é americano ou britânico? Eu só quero se for britânico” e outros do tipo. Essa coisa de falar inglês como um americano não deve ser o objetivo principal de ninguém que estuda inglês. Perder tempo com coisas do tipo “inglês britânico é melhor que inglês americano” só ajuda a atrapalhar e criar mais dificuldades. [Leia: O que é International English?]
O outro ponto é aquele de querer ser perfeito na gramática e na pronúncia. O desejo da perfeição gramatical é notada em comentários do tipo “não sabe nem português direito e quer aprender inglês“.
Como não sabemos português direito!? O fato de não sabermos todo o código gramatical estabelecido pela Academia Brasileira de Letras não nos torna burros em português. Não somos incapazes de bater um papo em português pelo simples fato de não sabermos todas as regras dos livros de gramática. “Nóis erra; mais nóis se comunica!” (Nós erramos; mas, nós nos comunicamos). Claro que não é bonito falar errado! Mas, é errando que se aprende. E aprender é algo que acontece ao longo da vida!
Há ainda pessoas que dizem o seguinte: “só vou falar inglês quando aprender mais e estiver no nível avançado“. Eu acho isso um absurdo! Se essa lógica valesse para o português, essas pessoas só começariam a falar português quando chegassem ao Ensino Médio. E olhe lá!
Para encerrar, pergunto: Você já viu um italiano falando inglês? Um coreano falando inglês? Que tal um chinês? Um grego? Um boliviano? Um venezuelano? Um francês? Um alemão? Um argentino?
As pessoas de outros países que falam (aprendem) inglês estão pouco se lixando com o fato de falarem igualzinho a um britânico ou a um americano. Os falantes de outros países podem falar errado, mas se comunicam. A pronúncia deles não é perfeita, mas ainda assim dizem o que querem.
O TH deles sai esquisito e nem por isso se acham incapazes de falar inglês. Com o passar do tempo, eles vão aprendendo e melhorando. Já no Brasil, a maioria só se sente à vontade se a pronúncia for perfeita (som do th, por exemplo), a gramática for impecável e o jeito de falar for como o de um nativo.
O resto do mundo aprende a falar inglês porque não é tão exigente consigo mesmo. A cobrança pela perfeição lá fora não é doentia e exagerada como é aqui. O resto do mundo sabe que fala inglês “errado“, mas fala assim mesmo. Se a mensagem não é entendida, o resto do mundo tenta de novo. Já o brasileiro espera aprender tudo de modo perfeito para só então se soltar. E acaba desistindo no meio do caminho por achar inglês uma língua difícil.
Essa exigência exagerada causa frustração, tristeza, angústia, estresse, senso de incapacidade e outros sentimentos que atrapalham a capacidade de aprender inglês. Se você é muito exigente, cuidado! Os erros sempre acontecerão e falar como um nativo é extremamente difícil e até mesmo impossível. Lembre-se: saber inglês não significa ser perfeito e falar tudo certinho; saber inglês significa diminuir a quantidade de erros conforme vamos aprendendo.
Por fim, meu objetivo neste texto é mostrar um comportamento comum entre a maioria dos estudantes de inglês no Brasil: a exigência da perfeição. Esse comportamento acaba com os sonhos de muitos. Não pegue pesado com você mesmo e nem permita que os comentários dos outros frustrem seus planos de aprender inglês. Não seja exigente demais na gramática e pronúncia e nem queira falar inglês como um nativo fala. Vá com calma! That’s it!
Inglesnapontadalingua

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Não Foi Aprovado? Inscreva-se na Lista de Espera do Sisu


Se você prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano passado, se inscreveu no primeiro Sisu de 2015 e não foi aprovado, não se desespere. Saiba que anida poderá ter uma chance na sua primeira opção de curso escolhida, caso sobrem vagas ociosas após o período para matrícula.
Para isso os candidatos não classificados podem manifestar interesse em participar da lista de espera, até a data limite de 6 de fevereiro. O processo é muito simples: basta acessar o endereço do Sisu na internet; clicar na opção “Ver meu Boletim”; preencher os campos com dados do Enem 2014 e depois clicar no botão “participar da lista de espera“, em verde. Concluído o procedimento o sistema irá informar a data e horário de confirmação.
Perceba que só é possível integrar a lista de espera para sua primeira opção de curso indicada durante as inscrições do Sisu. Desta forma, o candidato que foi aprovado para sua segunda opção também pode se inscrever na lista, mesmo pretendendo se matricular na instituição pela qual foi convocado.
Após o prazo de matrícula dos aprovados na chamada única, a lista de espera do Sisu será repassada as universidades / institutos que ainda possuírem vagas remanescentes. A partir de 11 de fevereiro estas instituições darão início as convocações subsequentes.
Neste momento o concorrente deve ficar atento, pois as próximas chamadas não serão divulgadas no Sisu, somente pelas próprias universidades. Portanto, os candidatos devem acompanhar os sites das instituições frequentemente para se manterem informados a respeito de listas de aprovados e prazos para matrícula.
Aqueles que forem selecionados e não comparecerem para providenciar registro acadêmico nos períodos estabelecidos perderão o direito a vaga.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Veja a Lista dos Aprovados em Chamada Única no Sisu 2015

A lista com os nomes dos estudantes aprovados na única chamada do Sisu 2015 já está disponível para consulta na internet desde esta segunda-feira, 26 de janeiro.
Os mais de 2,7 milhões de candidatos que participaram desta edição do Sistema de Seleção Unificada devem acessar o sitedo Sisu, escolher a opção “Ver boletim” e preencher os campos com número de inscrição e senha no Enem 2014 para saber se foram aprovados ou não. O sistema irá informar a classificação parcial e a nota de corte para as duas opções de curso do inscrito.
Aquele que foi selecionado para uma das vagas do curso escolhido, independente de ser a primeira ou segunda opção, deverá comparecer na universidade / instituto entre os dias 30 de janeiro, 2 e 3 de fevereiro para providenciar a matrícula. A lista de documentos exigidos será informada no próprio boletim individual do Sisu.
Como este processo seletivo do sistema não prevê uma segunda chamada (leia a matéria e entenda), aqueles não foram convocados poderão continuar concorrendo a possíveis vagas remanescentes no curso de sua primeira opção. Para isso devem, dentro do próprio sistema, manifestar interesse em participar da lista de espera, até o dia 6 de fevereiro. Vale esclarecer aqui que concorrentes que foram aprovados em sua segunda opção também podem integrar a lista para sua primeira escolha, mesmo tendo efetuado matrícula na instituição.
De acordo com o cronograma oficial do Sisu 2015, as convocações da lista de espera terão início a partir da data de 11 de fevereiro e serão feitas pelas próprias universidades, sendo que o acompanhamento das chamadas é responsabilidade exclusiva dos candidatos.

InfoEnem


domingo, 25 de janeiro de 2015

Resultado da Chamada Única do Sisu 2015 Sai Nesta Segunda (26)


Após receber inscrições por quatro dias (19 a 22 de janeiro), o primeiro Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2015 libera o resultado da chamada única do processo seletivo na próxima segunda-feira, 26.
Os estudantes deverão realizar a consulta pela internet, no próprio site do Sisu. Aqueles que fizerem parte da lista de aprovados terão prazo entre os dias 30 de janeiro e 3 de fevereiro para comparecer junto a instituição portando a documentação exigida para matrícula. Vale ressaltar que a relação de documentos necessários estará disponível no próprio boletim individual do sistema.
Esta é a primeira edição em 2010 que o Sisu não fará a segunda chamada regular. Até então o sistema sempre trabalhou com duas convocações antes de começar a rodar a lista de espera. Para entender melhor esta mudança, leia a notíciacompleta.
De acordo com balanço publicado pelo Ministério da Educação (MEC) na quinta-feira (22), até as 18h do então último dia de inscrições o Sisu já havia recebido inscrições de 2.651.682 participantes. Esse número já bate o recorde de participantes de janeiro do ano passado, quando registrou 2.559.987 candidatos em cinco dias de inscrição.

Sobre a Lista de Espera do Sisu 2015

Aqueles estudantes que não foram aprovados na chamada única do Sisu poderão, também a partir do dia 26 de janeiro, manifestar interesse me participar da lista de espera. Para isso basta acessar o sistema até a data limite de 6 de fevereiro e indicar a opção que estará disponível.
É importante esclarecer que os candidatos podem participar da lista de espera somente em sua primeira opção de curso. Aqueles que foram convocados em sua segunda opção poderão participar da lista de espera e continuar concorrendo a sua primeira opção normalmente, independentemente de confirmar matrícula ou não na universidade ou instituto em que foi aprovado.

Inscrições Para Vagas Remanescentes da UFSC Via Enem


A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está recebendo inscrições para mais de 1500 vagas remanescentes em 40 cursos do Vestibular 2015. Os postos que não foram ocupados serão preenchidos agora através das notas dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio.
Poderá participar da seleção qualquer candidato que tenha realizado o Vestibular UFSC 2015 e conquistado nota igual ou superior a 3 na redação do processo. A classificação dos concorrentes será feita com base no desempenho de qualquer edição do Enem a partir de 2012, sendo exigida nota mínima de 300 pontos na redação.
As inscrições seguem abertas até a data de 26 de janeiro pela internet, mediante preenchimento de formulário online napágina da Comissão Permanente do Vestibular (Coperve). No processo o candidato terá que cadastrar seus dados pessoais como nome completo, CPF e RG, além de responder um formulário socioeconômico para avaliação. Além do curso também deverá indicar um dos campi, entre os das sedes nas cidades de Araranguá, Curitibanos, Blumenau, Florianópolis ou Joinville.
O resultado com a lista dos convocados será divulgado no próximo dia 3 de fevereiro, enquanto a matrícula deverá ser efetuada no período entre os dias 5 a 8 de do mesmo mês. Importante esclarecer que os candidatos que não comparecerem na data informada perderão o direito a vaga, que será repassada ao sucessor da lista.
Vestibular da UFSC 2015 foi aplicado nos dias 13, 14 e 15 de dezembro e ofereceu 6.511 vagas, das quais 1.542 ficaram ociosas.
Para mais informações, inclusive a consulta das vagas e cursos, acesse o Edital para preenchimento de vagas remanescentes.

InfoEnem

Consulte as Bolsas que Estarão Disponíveis no ProUni 2015.1

Na última quinta-feira, terminou o prazo de inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Entretanto, para quem prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 e busca uma vaga no ensino superior, as emoções continuam.
No próximo dia 26, serão abertas as inscrições para a primeira edição do Programa Universidade Para Todos (ProUni) de 2015. Para este semestre, serão ofertadas mais de 213 mil bolsas, sendo 135.616 integrais e 77.497 parciais. A título de curiosidade, se compararmos com o primeiro semestre do ano passado, notamos um significativo aumento de 11%. Em 2014, foram ofertadas 191.625 bolsas.
Na edição deste primeiro semestre de 2015 do Prouni, os interessados que participaram do Enem do ano passado e obtiveram média igual ou superior à 450 pontos, poderão concorrer a bolsas em 30.549 diferentes cursos, em 1.117 instituições de ensino superior privadas espalhados em todas as regiões do país. Dentre as regiões, destaque para o sudeste, que ofertará nada menos que 48% do total de vagas, seguido do Sul, com 22%.
Veja a tabela do total de bolsas para cada região brasileira:

Bolsas ofertadas por região
RegiãoNº bolsas% bolsas
Norte13.0346%
Nordeste30.58214%
Sudeste101.35948%
Sul46.15222%
Centro-Oeste21.98610%
Total213.113100%
Quando olhamos para as ofertas para cada curso, destaque para administração e psicologia, que juntos ofertarão mais de 37 mil bolsas. Veja abaixo a tabela com os 10 cursos que mais terão ofertas de vagas nesta edição do Prouni.

CursoTotal
Administração22.050
Pedagogia15.562
Direito15.010
Ciências contábeis11.917
Engenharia civil8.405
Educação física8.181
Gestão de recursos humanos6.854
Enfermagem6.801
Psicologia5.307
Engenharia de produção5.284
Para fazer uma pesquisa da oferta de bolsas por curso, instituição ou município, clique aqui. E não se esqueça que as inscrições da primeira edição do Prouni 2015 começam na próxima segunda-feira, dia 26.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Análise de Tema da Redação UNESP 2015


No texto de hoje analisaremos a última proposta de redação de um dos vestibulares mais concorridos do Brasil, o da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquista Filho” (Unesp). Como dissemos na publicação do dia 08 de janeiro (clique aqui para ler a matéria), fazer as propostas de redação dos principais vestibulares do país é uma estratégia mais do que acertada nos estudos para o Enem, já que a maioria dos exames requer uma dissertação-argumentativa, assim como o Enem.
O vestibular da Unesp é realizado pela Vunesp (Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista) e tem como característica abordar temas das mais variadas linhas, desde as de cunho social até as pessoais e filosóficas. No vestibular 2015, em sua primeira fase que foi realizada no dia quinze de dezembro de 2014, o tema da proposta de redação foi “O legado da escravidão e o preconceito contra negros no Brasil”1, que surpreendeu os candidatos, já que a Unesp é uma verdadeira caixinha de surpresas em termos de temas de propostas de redação. Apesar desta aparência tranquilidade, ressaltamos que o tema não é relacionado à escravidão passada, mas sim ao seu legado, às suas consequências, como o racismo, que, infelizmente, perduram até hoje no Brasil.
Deste modo, de antemão, o candidato deveria ter abordado as consequências atuais da escravidão (racismo) no Brasil e não no mundo todo ou em outro país. Dissertar sobre a história da escravidão, por exemplo, e não chegar ao seu legado atual é tangenciar o tema.
A proposta de redação, na íntegra, é a seguinte:
Texto 1
O Brasil era o último país do mundo ocidental a eliminar a escravidão! Para a maioria dos parlamentares, que se tinham empenhado pela abolição, a questão estava encerrada. Os ex-escravos foram abandonados à sua própria sorte. Caberia a eles, daí por diante, converter sua emancipação em realidade. Se a lei lhes garantia o status jurídico de homens livres, ela não lhes fornecia meios para tornar sua liberdade efetiva. A igualdade jurídica não era suficiente para eliminar as enormes distâncias sociais e os preconceitos que mais de trezentos anos de cativeiro haviam criado. A Lei Áurea abolia a escravidão mas não seu legado. Trezentos anos de opressão não se eliminam com uma penada. A abolição foi apenas o primeiro passo na direção da emancipação do negro. Nem por isso deixou de ser uma conquista, se bem que de efeito limitado.

(Emília Viotti da Costa. A abolição, 2008.)
Texto 2
O Instituto Ethos, em parceria com outras entidades, divulgou um estudo sobre a participação do negro nas 500 maiores empresas do país. E lamentou, com os jornais, o fato de que 27% delas não souberam responder quantos negros havia em cada nível funcional. Esse dado foi divulgado como indício de que, no Brasil, existe racismo. Um paradoxo. Quase um terço das empresas demonstra a entidades seriíssimas que “cor” ou “raça” não são filtros em seus departamentos de RH e, exatamente por essa razão, as empresas passam a ser suspeitas de racismo. Elas são acusadas por aquilo que as absolve. Tempos perigosos, em que pessoas, com ótimas intenções, não percebem que talvez estejam jogando no lixo o nosso maior patrimônio: a ausência de ódio racial.

Há toda uma gama de historiadores sérios, dedicados e igualmente bem-intencionados, que estudam a escravidão e se deparam com esta mesma constatação: nossa riqueza é esta, a tolerância. Nada escamoteiam: bem documentados, mostram os horrores da escravidão, mas atestam que, não a cor, mas a condição econômica é que explica a manutenção de um indivíduo na pobreza. […]. Hoje, se a maior parte dos pobres é de negros, isso não se deve à cor da pele. Com uma melhor distribuição de renda, a condição do negro vai melhorar acentuadamente. Porque, aqui, cor não é uma questão.
(Ali Kamel. “Não somos racistas”. www.oglobo.com.br, 09.12.2003.)
Texto 3
Qualquer estudo sobre o racismo no Brasil deve começar por notar que, aqui, o racismo é um tabu. De fato, os brasileiros imaginam que vivem numa sociedade onde não há discriminação racial. Essa é uma fonte de orgulho nacional, e serve, no nosso confronto e comparação com outras nações, como prova inconteste de nosso status de povo civilizado.

(Antonio Sérgio Alfredo Guimarães. Racismo e anti-racismo no Brasil, 1999. Adaptado.)
Texto 4
Na ausência de uma política discriminatória oficial, estamos envoltos no país de uma “boa consciência”, que nega o preconceito ou o reconhece como mais brando. Afirma-se de modo genérico e sem questionamento uma certa harmonia racial e joga-se para o plano pessoal os possíveis conflitos. Essa é sem dúvida uma maneira problemática de lidar com o tema: ora ele se torna inexistente, ora aparece na roupa de alguém outro.

É só dessa maneira que podemos explicar os resultados de uma pesquisa realizada em 1988, em São Paulo, na qual 97% dos entrevistados afirmaram não ter preconceito e 98% dos mesmos entrevistados disseram conhecer outras pessoas que tinham, sim, preconceito. Ao mesmo tempo, quando inquiridos sobre o grau de relação com aqueles que consideravam racistas, os entrevistados apontavam com frequência parentes próximos, namorados e amigos íntimos. Todo brasileiro parece se sentir, portanto, como uma ilha de democracia racial, cercado de racistas por todos os lados.
(Lilia Moritz Schwarcz. Nem preto nem branco, muito pelo contrário, 2012. Adaptado.)
Com base nos textos apresentados e em seus próprios conhecimentos, escreva uma redação de gênero dissertativo, empregando a norma-padrão da língua portuguesa, sobre o tema: O legado da escravidão e o preconceito contra negros no Brasil
O primeiro texto da coletânea afirma que a Lei Áurea, assinada em 1888, não garantiu a integral liberdade dos ex-escravos, o que é uma verdade. O candidato que estudou bem História, ao ler este texto de Emília Viotti da Costa, deveria ter relacionado estas afirmações com os fatos de que muitos negros, após a abolição, continuaram trabalhando nos mesmos lugares, pois não tinham para onde ir e os que foram embora das fazendas e das casas nas quais trabalhavam foram morar nas periferias das cidades; primeiramente, nos cortiços e, após uma limpeza urbana como ocorreu no Rio de Janeiro, nos morros. A novela Lado a Lado, da rede Globo, exibida entre os anos 2012 e 2013 mostrou muito bem este período histórico e foi uma bela aula de História.
Assim iniciou-se mais uma fase da vida da população negra à margem, literalmente, do restante da sociedade, ou seja, nas periferias e nos morros das cidades, isolados, afastados e sem nenhuma condição de qualidade de vida, o que ainda acontece nas favelas e comunidades por todo o país, infelizmente.
O segundo texto da coletânea, de autoria de Ali Kamel, de um modo é uma continuidade do primeiro texto, pois retrata a condição do negro no mercado de trabalho, mais especificamente em grandes empresas, e constata a pouca mão de obra negra e relaciona este fato não à cor da pele, mas sim à pobreza e à má distribuição da renda da qual a população negra é vítima desde a abolição da escravidão.
O candidato poderia, em sua redação, adicionar a isto o fato de que os trabalhadores negros ganham menos do que os branco inclusive quando ocupam os mesmos cargos e estes fatos estão conectados ao fato de que poucos estudantes negros conseguem adentrar nas universidades públicas e particulares do Brasil e, para tratar este problemas, as cotas foram criadas como medidas afirmativas. Porém, ressaltamos que a proposta de redação não trata das cotas raciais, mas elas podem ser trazidas pelos candidatos como estratégias argumentativas.
O terceiro texto da coletânea textual, por sua vez, contesta a afirmação ilusória de que, no Brasil, não há preconceito racial. Basta conversarmos com uma pessoa negra para verificarmos que isto é, realmente, uma mentira. A todo o momento temos provas disso, desde piadas racistas até publicidades e programas de televisão com cunho preconceituoso, como foi o caso de Sexo e as Nega da rede Globo, contrariando Lado a Lado. Nesta série, as mulheres negras são retratadas como objetos sexuais, nada mais e isto gerou inúmeras discussões, principalmente nas redes sociais, fato que pode ter sido colocado, pelos candidatos, como um legado da escravidão no Brasil.
O quarto e último texto da coletânea textual é uma continuação do terceiro e questiona, novamente, a inexistência do racismo no nosso país. Ninguém é racista, mas conhece um.
Os casos de racismo no futebol brasileiro que ocorreram em 2014 são um legado da escravidão brasileira. A torcedora do Grêmio que chamou de “macaco” o goleiro Aranha, do Santos, argumentou que tem amigos negros e que já saiu com homens negros, mas isso não justifica ela ter enchido a boca para ofender o jogador oponente.

O caso do casal de namorados – ela negra e ele branco – que postou uma foto juntos em uma rede social e foi alvo de preconceitos é um legado da escravidão no Brasil. E ainda há quem diga que não há racismo por aqui…
Portanto, o tema da proposta de redação da Unesp 2015 é pertinente, atual e importante e poderia muito bem ser uma proposta de redação do Enem com a adição da exigência de uma proposta de intervenção social que objetivasse eliminar, de fato e de vez, o racismo no Brasil.

InfoEnem

Dicas Para o Último Dia de Inscrições do Sisu 2015

Como você já deve saber, às 23h59 desta quinta-feira (22) o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2015 encerrará o prazo de inscrições.
A apenas algumas horas do fechamento do sistema, muitos candidatos ficam em dúvida sobre como proceder. Devo manter ou alterar minhas opções de curso? Me inscrevo como cotista ou na ampla concorrência? Estas são algumas das dúvidas mais frequentes entre os participantes do Sisu.
Para lhe ajudar neste momento crucial, nossa equipe reuniu dicas preciosas para você explorar da melhor maneira o sistema. Confira.
  • Não deixe para fazer / alterar sua inscrição na última hora, pois como o próprio Ministério da Educação (MEC) alertou, normalmente o sistema recebe muitas entradas nos últimos instantes e, caso haja alguma instabilidade, você pode não conseguir acessá-lo;
  • Para tomar suas decisões, tenha em mente que a tendência neste último dia é aumentar o número de inscritos no sistema, o que deve fazer com que as notas de corte subam;
  • Se sua classificação parcial estiver muito longe da última vaga, troque de opção (veja como fazê-lo nesta postagem);
  • No caso de alterar sua inscrição, escolha um curso cuja nota de corte seja menor ou próxima (acima ou abaixo) de sua pontuação para aquela opção;
  • Caso esteja inscrito como cotista, não troque sua inscrição para a modalidade de ampla concorrência, pois via de regra a nota de corte para este tipo de modalidade é mais alta;
  • Atenção com sua segunda opção de curso, pois quando você está dentro da zona de aprovação na sua primeira escolha o sistema não mostra a classificação parcial da opção secundária. Neste caso, recomendamos que o curso da segunda opção tenha note de corte abaixo da sua. Assim, caso não seja aprovado na primeira opção, pode contar de fato com a segunda;

Balanço Parcial do Sisu 2015

Como de praxe, o MEC divulgou às 18h de ontem balanço parcial com dados referentes a esta primeira edição do Sisu. Até aquele momento, o sistema tinha computado 2.320.171 inscritos.
O Sisu 2015 disponibiliza 205.514 vagas em instituições públicas de ensino superior em todo o Brasil, utilizando como cirtério de classificação as notas dos candidatos no Enem 2014.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Confira as 10 Maiores Notas de Corte do Sisu 2015

O processo seletivo do Sisu 2015 começou na última segunda-feira, 19 de janeiro. Durante o período de inscrições, que segue até o final da quinta-feira (22), o Ministério da Educação (MEC) atualiza diariamente as notas de corte de todas as opções de curso, turno e modalidade oferecidas no Sistema de Seleção Unificada.
Desta forma, o MEC é capaz de identificar inúmeras informações a respeito desta edição do Sisu. Na noite de ontem (20), além de divulgar o tradicional balanço com número de inscritos e inscrições, a Assessoria de Comunicação Social da pasta liberou um arquivo com os 10 cursos com as notas de corte mais altas do Sisu 2015, após o encerramento do primeiro dia de inscrições.
O destaque vai para o curso de direito da Universidade Federal Fluminense (UFF), na modalidade de ampla concorrência, cuja nota de corte foi de 827,37 pontos. Confira a lista completa na tabela abaixo:
 
10 Maiores Notas de Corte do Sisu 2015 – Atualização dia 20/01
InstituiçãoCampusCursoNota
1) UFFESCOLA DE ENGENHARIA DE VOLTA REDONDADIREITO827,37
2) UFRJCIDADE UNIVERSITÁRIAMEDICINA821,64
3) UFRJCIDADE UNIVERSITÁRIAENGENHARIA QUÍMICA814,95
4) UFMGCAMPUS SAÚDEMEDICINA809,32
5) UFOPCAMPUS MORRO DO CRUZEIROMEDICINA809,11
6) UFPECARUARUMEDICINA807,69
7) UFUCAMPUS SANTA MÔNICA/REITORIAENGENHARIA AERONÁUTICA806,98
8) UFTMHOSPITAL DE CLÍNICAS DA UFTM (HC)MEDICINA802,58
9) UFRJPRAIA VERMELHACIÊNCIAS ECONÔMICAS801,07
10) UEMSUNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CAMPO GRANDEMEDICINA796,99
* Notas de corte divulgadas pelo Sisu à 0h do dia 20 de janeiro de 2015.

É importante esclarecer que, conforme informado pelo próprio MEC, a lista leva em consideração as instituições que ofertam 100% de suas vagas pelo Sisu e que não atribuíram bonificação (políticas afirmativas) às notas dos participantes.
Vale ressaltar ainda que tais notas informadas na tabela provavelmente não serão iguais ao final do processo, uma vez que o sistema é dinâmico e permite que os candidatos alterem suas opções de curso, o que consequentemente deve alterar as notas de corte até o fechamento das inscrições.

InfoEnem

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Confira Todas as Notas de Corte do Sisu 2014/1


A busca por uma vaga numa universidade pública começa, claro, conseguindo um bom desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio.
Entretanto, as provas do Enem não são o único passo para conquistar a tão sonhada vaga. O primeiro processo seletivo de 2015 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) está ai e chegou a hora de “comparar” suas notas com as de outros candidatos para decidir realmente quem vai conseguir!
Nessa fase, algumas dicas e estratégias podem fazer toda diferença. Além de saber as regras, torna-se bastante interessante conhecer as notas de corte dos aprovados no mesmo curso de seu desejo, não acha? Pois bem, o site da EBC divulgou um documento que contém todas as notas de corte do primeiro Sisu 2014 em todos os cursos. É exatamente isso que leu. Uma lista com TODAS as notas de TODOS os cursos!
Mas antes de se debruçar em cima de uma tabela com tanta informação, é importante destacar alguns pontos:
  1. Essa lista é referente ao Sisu de 2014 e não temos nenhuma garantia que as notas sejam parecidas (muito menos iguais!) para esta próxima edição. Ou seja, encare como uma referência. Nada mais.
  2. Como destacamos no item anterior, essa lista pode lhe dar uma noção de como seu desempenho no Enem foi em relação aos outros candidatos. Entretanto, acreditamos que as informações mais importantes em relação à sua classificação no curso escolhido serão nas parciais que o sistema libera durante o processo.
  3. O arquivo disponibilizado pelo site da EBC é muito extenso. Sendo assim, caso seu computador ou sua conexão de internet não tenham bons desempenhos, provavelmente terá dificuldades para visualizá-la.
Tendo em mente essas três recomendações, segue o link para realizar o download da lista e, de maneira moderada, tentar diminuir, pelo menos em parte, toda a ansiedade que naturalmente toma conta dos estudantes horas antes da abertura do sistema de seleção do Ministério da Educação (MEC).
Clique aqui para fazer o download e ver todas as notas de corte do primeiro Sisu de 2014.

Como Retirar o Certificado do Ensino Médio Pelo Enem 2014?

Nesta semana o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) liberou a consulta do resultado do Enem 2014 em seu sistema. Após visualizar suas notas, os candidatos partem em busca de informações sobre como utilizá-las para seus objetivos. Na matéria de hoje traremos orientações para aqueles que prestaram o Exame Nacional a fim de retirar ocertificado de conclusão do ensino médio.
Primeiramente vamos esclarecer quais os pré-requisitos obrigatórios para solicitação do diploma desta etapa escolar. Veja abaixo.

  • ter indicado, no ato da inscrição no exame, o desejo na retirada do documento;
  • ter completado 18 anos de idade até a data do Enem 2014 (8 e 9 de novembro);
  • ter conquistado 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento que compõem a prova objetiva;
  • ter atingido no mínimo 500 pontos na Redação.
Cumpridas todas estas exigências, o candidato poderá, a partir da próxima segunda-feira (19 de janeiro), comparecer na unidade certificadora apontada durante o processo de inscrição no Enem portando os documentos exigidos. Cada instituição certificadora define a forma de encaminhamento do pedido e os documentos a serem apresentados para solicitação do certificado.
Vale esclarecer que, conforme esclarece o Ministério da Educação (MEC), fazem parte do quadro de entidades certificadoras as secretarias estaduais de educação e os institutos federais de todo o país, uma vez que terão acesso aos dados de quem obteve a pontuação exigida para a certificação. O Inep disponibiliza o contato dos Institutos Federais e das Secretarias Estaduais de Educação Certificadoras.
Nesta última edição do Enem 67.254 candidatos prestaram o exame com a finalidade de retirar o diploma do ensino médio. De acordo com balanço divulgado pelo MEC nesta semana, somente 67.254 deles (10,6%) conseguiram atingir o desempenho necessário.

InfoEnem

Saiba Como Calcular a Média das Notas do Enem

Sempre que o resultado do Enem é divulgado, dezenas de leitores entram em contato conosco perguntando como fazer para calcular a média das notas do Exame Nacional do Ensino Médio informadas no boletim individual.
O cálculo das médias das notas do Enem corresponde exatamente a contabilização de uma média aritmética comum, que é igual ao resultado da soma dos valores de todas as parcelas divido pelo número de parcelas.
No caso do exame nacional, como o resultado fornece cinco notas (quatro para as provas das áreas com questões objetivas e mais uma para a redação), a média final equivale a soma de todas as notas divido por 5.
Acompanhe o exemplo abaixo:

Resultado Enem – Aluno X
  • Ciências Humanas: 625
  • Ciências da Natureza: 475
  • Linguagens e códigos: 520
  • Matemática: 380
  • Redação: 700
Para descobrir a média final do Aluno X, somamos suas notas (2.700) e dividimos o valor por 5. No caso, chegaremos a média de 540 pontos.
Caso queira calcular somente a média das provas objetivas, basta desconsiderar a pontuação da redação na soma e dividir o resultado por quatro.
É importante esclarecer que a média das notas do Enem é um dado meramente informativo. Ela será usada por programas do governo como o Prouni (oferece bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior) e Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), os quais têm como uma de suas exigências que o candidato tenha atingido média mínima de 450 pontos nas cinco áreas do conhecimento avaliadas pelo exame.
Já para disputa de vagas em universidades públicas pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada) por exemplo, não cabe utilizar tal média pois as universidades calculam o desempenho dos concorrentes de forma própria para cada curso, não havendo possibilidade de “prever” qual a pontuação final para as opções escolhidas.


Proinfo

domingo, 18 de janeiro de 2015

Aleivosia


Pensamento podre,
Sorriso falso,
Lábios da mentira.
Na igreja,
Joelhos doloridos,
Aos  amigos,
Castigo.
Aleluia, Senhor!
Crucifixo na mão;
 Ódio no coração.
Gente maculada,
Desalmada,
Que ainda te
Olha rindo,
Como se tu
Fosses um menino,
E quer te convencer
Que estás errado.
Ó, Deus, 
Cuida de meus irmãos!
Só se Ele te matar,
Pois és tu,
A cruel nesta nação.
Ó, morte, se tu
Tiveres  sorte,
Leva contigo
Essa de mente impura.
E a ti juro,
Que ajudo a carregar.

JSC

Opressão


Dia triste e chuvoso,
Rua longa e fria.
Nela , meio dela,
Apenas um homem,
Não um homem só;
Tinha um megafone.
Sozinho de outros
Que o ajudassem a gritar.
Havia outros homens:
Escondidos e amedrontados.
Apesar de não estarem na luta,
Também sofria a mesma agonia.
Povo, saia do esgoto!
Povo, a gente não é bobo!
Povo, grite de novo!
Ecoava a voz de apenas um homem,
Não um homem só;
Um homem sozinho de outros homens.

JSC


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Proposta de Redação


Além de não se esquecer das cinco competências, é de fundamental importância ter em mente um parâmetro de texto, isto é, ler e analisar dissertações-argumentativas que obtiveram boas notas, tanto no Enem quanto em outros vestibulares, auxilia a enxergarmos as inadequações e as lacunas em nossos textos. Vamos ver um exemplo de redação nota alta no Enem?

Todos reconhecem a riqueza da diversidade no planeta. Mil aromas, cores, sabores, texturas, sons encantam as pessoas no mundo todo; nem todas, entretanto, conseguem conviver com as diferenças individuais e culturais. Nesse sentido, ser diferente já não parece tão encantador. Considerando a figura e os textos acima como motivadores, redija um texto dissertativo-argumentativo a respeito do seguinte tema.
O DESAFIO DE SE CONVIVER COM A DIFERENÇA
Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar os conhecimentos adquiridos e as reflexões feitas ao longo de sua formação. Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender seu ponto de vista e suas propostas, sem ferir os direitos humanos.
A Necessidade das Diferenças
De acordo com a Teoria da Educação das Espécies, o que possibilita a formação do mundo como conhecemos hoje foi a sobrevivência dos mais aptos ao ambiente. A seleção natural se baseia na escolha das características mais úteis eEstas somente se originam a partir das diferenças determinadas por mutações em códigos genéticos com o passar do tempo.
Se no âmbito Biológico as variações são imprescindíveis à vida, no sociológico não é diferente. Uma vez todos iguais, seríamos atingidos pelos mesmos problemas sem perspectiva de resolução, já que todas as ideias seriam semelhantes.
A maioria das pessoas está inserida em um contexto social contudo grandes inovações se fazem a partir do reconhecimento da individualidade de seus integrantes. Assim, é de nossa responsabilidade respeitar nossos semelhantes independentes de sexo, raça, idade, religião, visto que dependemos mutuamente.
Obviamente nem todas as diferenças são benéficas. Por exemplo, a diferença entre classes sociais não poderia assumir tal demissão. Para somá-la (?), necessitamos de uma melhor distribuição de renda aliada a oportunidades de trabalho, educação e saúde para todos.
Devemos nos conscientizar de que somos todos iguais em espécie, mas conviver com as diferenças (por mais difícil que pareça), pois elas nos enriquecem como pessoas. Nossos esforços devem ser voltados contra discriminações anacrônicas e vis, como o racismo ou perseguições religiosas. Estas não nos levam a lugar algum, apenas nos desqualificam como seres humanos.
Em negrito, sinalizamos as correções das quais esta redação necessitava. Nosso objetivo em exibi-la é mostrar que textos com notas altas não são textos sem inadequações e desvios e sim textos com teses e argumentos bem definidos; desde que estas inadequações não atrapalhem a fluidez da leitura do texto de maneira integral, poucos descontos de nota serão pontuados.
A proposta de intervenção social, nesta redação, é o maior ponto fraco, pois aponta a importância da conscientização, mas não disserta sobre como esta conscientização pode ser alcançada pelas pessoas. Caso este texto tivesse sido escrito em outro vestibular, não haveria problemas, mas o Enem tem como quinta competência a elaboração de uma proposta de intervenção social detalhada, algo que ficou falho neste caso, mas não impediu uma boa nota, pois há uma proposta: a conscientização.