domingo, 18 de janeiro de 2015

Opressão


Dia triste e chuvoso,
Rua longa e fria.
Nela , meio dela,
Apenas um homem,
Não um homem só;
Tinha um megafone.
Sozinho de outros
Que o ajudassem a gritar.
Havia outros homens:
Escondidos e amedrontados.
Apesar de não estarem na luta,
Também sofria a mesma agonia.
Povo, saia do esgoto!
Povo, a gente não é bobo!
Povo, grite de novo!
Ecoava a voz de apenas um homem,
Não um homem só;
Um homem sozinho de outros homens.

JSC


Nenhum comentário:

Postar um comentário