sábado, 30 de agosto de 2014

Funeral do amor



Apaguem o sol
Empacotem a lua
Desliguem as estrelas
Calem as crianças
Silenciem os tambores
Desliguem os rádios
Tirem do leão a presa
Privem a água do peixe...
Pensava  que o amor era eterno;
Chame o coveiro,
E enterre-o  na cova  de minha dor.

Joerlândio Cordeiro